terça-feira, 3 de junho de 2014

Post de Despedida

Nós, da Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência), decidimos nesta terça-feira por desativar este blog, intitulado "Apraespi Notícias". Todo o material produzido pela associação será  postado na seção "Eventos e Notícias" do site oficial: www.apraespi.org.br. 

O blog esteve ativo desde 2011 e relatou todas as principais notícias da entidade, além de hospedar artigos de diretores e especialistas em reabilitação. 

Agradecemos pela crescente interação durante estes últimos anos e esclarecemos que o mesmo trabalho será retomado no novo site, ainda mais completo e aprofundado. Esta página, no entanto, não será deletada e permanecerá no ar disponibilizando todo o material aqui postado. 

Muito obrigado!


quinta-feira, 22 de maio de 2014

'Precisamos de um upgrade nas unidades profissionalizantes'

ENTREVISTA

Elisabeth Fernandes
- Coordenadora do Cati

Elisabeth: "Precisamos de um upgrade nas unidades profissionalizantes"

Cada vez mais em voga nos debates, a inclusão social e profissionalizante das pessoas com deficiência teve importantes avanços, mas ainda há muito a ser feito, tornando necessária a criação de novos centros de reabilitação para esse público. A opinião é de Elisabeth Fernandes, coordenadora do Cati (o centro de autismo da Apraespi), que falou da importância da família para maximizar a inserção de deficientes nos ambientes sociais. 

Recentemente saiu numa pesquisa que 3 mil empresas no ABC não cumprem a lei que determina o preenchimento de 5% do quadro de funcionários com pessoas com deficiência. A inclusão profissionalizante teve importantes avanços nos últimos anos, mas ainda há muito a ser feito?
Elisabeth Fernandes - A inclusão profissionalizante teve enormes avanços aqui na região do ABC. Por exemplo, na Apraespi, desde que foi criado o Copar, há 30 anos, mais de mil jovens saíram de lá capacitados e com emprego. É hora de pensarmos em aprimorar e ampliar esses trabalhos que deram certo. O governo precisa criar ainda mais cursos e parcerias com os centros profissionalizantes para surgirem novas opções de capacitação, além de melhorar as que já existem. Então, o resultado dessa pesquisa mostra que precisamos de um upgrade nas unidades educacionais profissionalizantes, como é o caso da Apraespi. São ótimas e funcionam muito bem!

Esses avanços têm muito a ver com a questão cultural da inclusão do deficiente nos ambientes sociais: família, escola, ambientes de lazer e círculos de amizade. Essa ideia é bastante trabalhada na Apraespi, não?
Elisabeth Fernandes - Com certeza, no Cati nós preparamos as crianças para estarem integradas socialmente. Isso facilita muito na hora da inserção no mercado de trabalho, afinal elas já estarão acostumadas com as dificuldades do convívio social e superarão isso. 

 A interação com a família faz toda a diferença, realmente. A Apraespi entende a função da família para tal finalidade e investe bastante nisso.
Elisabeth Fernandes – A Apraespi enxerga na família um papel imprescindível para a reabilitação. Por isso investimos em tantos projetos nesse sentido. Temos uma unidade chamada Espaço Família, onde as mães e pais de alunos, aprendizes e pacientes com deficiência passam o dia frequentando cursos e recebendo instruções para agir da maneira adequada com o filho com deficiência. Tem muita mãe, muito pai que não sabe como lidar com o filho. Além disso, a Apraespi conta com uma equipe de assistentes sociais que vai diretamente na casa das famílias atendidas para acompanhar e até maximizar os resultados do nosso atendimento. Acompanhamos tanto família que estão sendo atendidas quanto aquelas que buscam vagas. Resumindo: o jovem com deficiência precisa da família justamente para se tornar independente dela.

E a questão da inclusão do deficiente na rede pública de ensino? Até que ponto é possível pensarmos nisso?

Elisabeth Fernandes – A inclusão do deficiente nas escolas públicas é importante? É claro que sim, sem dúvidas. A Apraespi trabalha por isso sempre que possível. Agora, precisamos repetir o mantra: “Não à inclusão radical”. Não podemos ser radicais. Temos de buscar o equilíbrio sempre. Então não podemos apoiar incluir uma criança que usa cadeira de rodas numa escola sem rampas. Não podemos apoiar a inclusão de uma criança autista numa escola onde os professores não sabem lidar com esse perfil de aluno. E é isso que, infelizmente, alguns pontos da Conferência Nacional de Educação não olha com a devida atenção. Precisamos ter escolas tão boas quanto a Apraespi para preparar os alunos com deficiência para a inclusão na rede pública de ensino e para receber de volta aqueles que não conseguem se adaptar. Você pai, você mãe, diga não à inclusão radical! 


quarta-feira, 2 de abril de 2014

Expansão do Hospital Dia vai diminuir a fila de espera no Grande ABC

Obra do maior centro de reabilitação para deficientes na região foi inaugurada com o apoio da Fundação Salvador Arena

- FSA

A Fundação Salvador Arena (FSA), por meio do Programa de Apoio a Projetos Sociais (PAPS), inaugurou na última sexta-feira (28) o quarto pavimento do Hospital Dia, considerado o maior centro de reabilitação do Grande ABC, localizado na cidade de Ribeirão Pires. A obra, orçada em mais de R$ 400 mil, foi uma parceria entre FSA, Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência (APRAESPI), comunidade e Ministério da Saúde.

O Hospital Dia oferece tratamento gratuito para deficientes físicos, auditivos, visuais e intelectuais de sete municípios do Grande ABC. Mais de duas mil pessoas passam pelo local diariamente. Com a construção de mais um andar, a APRAESPI, entidade responsável pela administração do prédio, deve conseguir diminuir a fila de espera do centro de tratamento. Hoje, segundo a diretora da entidade, Maria Aparecida Moura, mais de 700 pessoas esperam por atendimento médico.

“A parceria com a Fundação Salvador Arena foi fundamental para esta conquista. Quando a comunidade e instituições sérias, comprometidas com a sociedade, se unem para o bem, só se pode colher bons resultados”, disse Lair Moura, superintendente da APRAESPI, durante a cerimônia de inauguração. O evento contou com a presença de funcionários da APRAESPI, pacientes e familiares, representantes de municípios do ABC e da Fundação Salvador Arena.

Do total da verba investida na ampliação do Hospital Dia, metade foi de responsabilidade da Fundação Salvador Arena, por meio do Programa de Apoio a Projetos Sociais, criado para apoiar ONGs em iniciativas de transformação e promoção social. A outra metade foi angariada pela própria comunidade e responsáveis pela entidade, a partir de doações, rifas e eventos. O Ministério da Saúde se responsabilizou pelos equipamentos das salas de atendimento.

A APRAESPI é parceira da Fundação Salvador Arena há dez anos. De 2004 a 2013, a instituição foi beneficiada pelo Programa de Alimentação Complementar para Entidades Sociais da FSA (PACES), que oferece alimentação de qualidade aos atendidos e assessoria técnica para os dirigentes da ONG. Em 2006, os coordenadores da APRAESPI participaram do curso de Administração para Organizações do Terceiro Setor, ministrado por profissionais da FSA e do mercado. E dois anos depois, a Fundação apoiou a entidade na instalação de equipamentos de combate a incêndio no Centro Ocupacional de Profissionalizante Adélia Redivo, da APRAESPI, em Ribeirão Pires.
“É papel do Terceiro Setor contribuir com a transformação social. Nós, da Fundação Salvador Arena, assumimos compromisso com a saúde, educação, habitação e assistência social. Mas só é possível construir um mundo melhor se houver um trabalho conjunto entre comunidade, instituições socialmente responsáveis e o poder público”, ressalta Marlene Barbieri Taveira, Conselheira e Diretora Executiva da área de Projetos Sociais da Fundação Salvador Arena.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Nova unidade será inaugurada na sexta

APRAESPI, Mais uma conquista para o Grande ABC

Evento deve contar com a presença de autoridades da região do ABC

Cerimônia de inauguração está marcada para às 11h

Uma semana depois do aniversário de Ribeirão Pires, a Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência) prepara o presente para a cidade e inaugura nesta sexta-feira (28), às 11h, o quarto andar do Hospital Dia, que abrigará os atendimentos realizados com recursos destinados após o credenciamento da entidade como CER IV (Centro Especializado em Reabilitação IV), concedido pelo Ministério da Saúde a unidades que atendem os quatro gêneros de deficiências: física, auditiva, visual e intelectual. “É o presente que a diretoria da Apraespi oferece pelos 60 anos da nossa querida Ribeirão Pires: a inauguração do quarto andar do Hospital Dia”, comemora a superintendente Lair Moura.

O evento deve contar com a participação de prefeitos, secretários de Saúde e vereadores da região, além de profissionais da área. A cerimônia ocorre na própria sede da Apraespi (rua José Alvarez, 84 - Centro - Ribeirão Pires) com entrada livre para o público.

O novo andar foi construído para atender o fluxo de pacientes que estão chegando com os recursos do CER IV, que garantiu vagas a mais pessoas que aguardavam na fila. 

Com o credenciamento, a Associação está recebendo um incentivo pelos procedimentos que já realizava. A Apraespi pretende ampliar sua capacidade de atendimento e, em pouco tempo, atender a fila de espera em reabilitação para os quatro tipos de deficiência. ”Infelizmente, a demanda de pessoas por atendimento em reabilitação nunca cessa. Com o incentivo do CER IV e a inauguração do quarto andar, vamos atender o maior número possível de pessoas. Asim, o tempo de espera será mínimo”, completa Lair. A agilidade no fluxo de atendimentos pode ser decisiva, já que algumas sequelas requerem tratamento imediato.

“Essa vitória foi possível graças ao trabalho árduo da doutora. Lair e sua equipe, e das doações da Fundação Salvador Arena e da população”, destacou o presidente da associação, João Domingues de Oliveira Filho.

Na Mídia
A Eco TV (canal 9 da Net ABC) já confirmou a presença da superintendente Lair Moura para conceder uma entrevista especial sobre a conquista do CER IV no programa “Eco 30”. O encontro vai ao ar na próxima quinta-feira, 03 de abril, à partir de 12h30. A Rádio Pérola da Serra (87,5 FM, de Ribeirão) também prepara um especial sobre o tema.


quarta-feira, 12 de março de 2014

Apraespi inaugura 4.º andar de hospital

Para Lair, quarto andar do Hospital Dia é um presente da Apraespi para Ribeirão

Apraespi ampliará atendimento em reabilitação

A menos de uma semana do aniversário de Ribeirão Pires, a Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência) prepara o presente para a cidade: a inauguração o quarto andar do Hospital Dia, marcada para 28 de março. A unidade que atende pessoas com deficiências físicas, intelectuais e visuais. “É o presente que a diretoria da Apraespi oferece pelos 64 anos da nossa querida Ribeirão Pires: a inauguração do quarto andar do Hospital Dia”, comemora a superintendente Lair Moura.

O novo andar foi construído para atender o fluxo de pacientes que estão chegando com os recursos do CER IV (Centro Especializado em Reabilitação IV - credenciamento dado pelo SUS a unidades que atendem todos os tipos de deficiência), que garantiu vagas a mais pessoas que aguardavam na fila.  

Com o credenciamento, a Associação está recebendo um incentivo pelos procedimentos que já realizava. A Apraespi pretende ampliar sua capacidade de atendimento e , em pouco tempo, atender a fila de espera em reabilitação para os quatro tipos de deficiência. 

Para isso a a Apraespi requereu aumento de teto financeiro ao SUS .“Infelizmente, a demanda de pessoas por atendimento em reabilitação nunca cessa. Com o incentivo do CER IV e a inauguração do quarto andar, vamos atender o maior número possível de pessoas. Asim, o tempo de espera será mínimo”, completa Lair. A agilidade no fluxo de atendimentos pode ser decisiva, já que algumas sequelas requerem tratamento imediato.

“Essa vitória foi possível graças ao trabalho árduo da doutora Lair e sua equipe, e das doações da Fundação Salvador Arena e da população”, destacou o presidente da associação, João Domingues de Oliveira Filho. 

segunda-feira, 10 de março de 2014

Apraespi oferece curso para profissionais de saúde

Aulas serão realizadas na própria sede da entidade, no centro de Ribeirão Pires

Durante toda essa semana (de 10 a 14 de março) no salão de eventos da Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência) será realizado o curso "Capacitação, Orientação e Mobilidade”.

Serão capacitados 25 profissionais da Apraespi, que prestam atendimento a pessoas com deficiência visual. O curso, habilitado pelo Ministério da Educação, será ministrado pela professora Nadir da Silva Machado, do Instituto Benjamin Constant. 

Com a habilitação da Apraespi pelo Ministério da Saúde como CER IV (Centro Especializado de Reabilitação IV - cedido à instituições que atendem pessoas com deficiências físicas, auditivas, visuais e intelectuais -), a tendência é que a entidade aumente o número de cursos ministrados. "Oferecemos os cursos para os profissionais desenvolvam um trabalho de qualidade e humanizem ainda mais o atendimento destinado ao cidadão", comenta a superintendente da Apraespi, Lair Moura.


Mais ações - Em maio será realizado um seminário de reabilitação e em julho, um seminário para profissionais da área da educação. A diretoria da Apraespi revelou ainda que um curso sobre autismo e comunicação alternativa já está sendo organizado e será aberto estudantes e profissionais do Grande ABC. 

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Apraespi e Santa Casa firmam parceria

Junção de esforços prevê captação de recursos e atendimento conjunto em Mauá

Harry Horst, Lair e Emerson Tenqhini, assessor do deputado
federal Marcelo Aguiar, após reunião

- Opinião Pública

Representando a Federação Estadual das Santas Casas e a Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência), Lair Moura se reuniu  na terça-feira com o superintendente da Santa Casa de Mauá, Harry Horst, para definir  uma série de ações conjuntas entre as instituições.  

Uma das propostas é ampliar em conjunto ações desenvolvidas pela Fehosp voltadas para moradores de Mauá. Inclui teleconferências e campanhas preventivas. A associação, localizada em Ribeirão Pires, já atende em suas seis unidades aproximadamente 350 famílias mauaenses em saúde, educação e assistência social. 

Também foi tratada a participação das duas entidades no 23.º Congresso de Santa Casas, agendado para maio. 

“Muita gente de Mauá procura a Apraespi em busca de atendimento de qualidade. Mas, ainda assim, a fila de espera não foi totalmente liquidada. Por isso eu vejo nesta parceria entre Apraespi e Santa Casa de Mauá a oportunidade de levar serviços dignos para tantas famílias. A parceria com a Santa Casa beneficia as famílias de Mauá”, comentou Lair. “A Apraespi tem uma estrutura excelente e profissionais de ótimo nível, então acredito que a saúde pública de Mauá só tem a ganhar”, completa Horst. 

Outra ação é captar recursos junto a congressistas e aos governos estadual e federal para aprimorar o atendimento das unidades de saúde da região. Lair conversou na semana passada com o deputado federal Marcelo Aguiar (DEM-SP), que se comprometeu a destinar emenda parlamentar. “O Marcelo Aguiar é um deputado que realmente se preocupa com as Santas Casas e hospitais filantrópicos. Tenho certeza que ele vai atender à mais essa demanda popular”, avaliou a superintendente. 

A parceria entre Apraespi e Santa Casa foi articulada pelo vereador Ricardinho (PTB), parlamentar tradicionalmente ligado à saúde pública. 

Além de planejar a captação de recursos e a ampliação do atendimento, Lair se reuniu com Horst para pedir apoio para sua chapa, que disputará as próximas eleições à Presidência da Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo), marcadas para a segunda metade de março. 

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Apraespi faz a diferença para Rio Grande da Serra

Em 45 anos, Apraespi reabilitou centenas de moradores de Rio Grande

Lair conversa com Elaine, mãe de criança atendida na Apraespi
// Foto: Fernando Soares / Melhor do Comércio

- Mais Conteúdo 

Quando se trata de reabilitação para pessoas com deficiência, é possível dizer que Rio Grande da Serra está bem servida. O município conta com a Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência), que na vizinha Ribeirão Pires oferece à população atendimento de qualidade em saúde, educação e assistência social. 

Em suas seis unidades, a associação atende todos os dias mais de 150 famílias de Rio Grande. O número é maior até do que o da bem estruturada Apae local. Com o CER IV (Centro Especializado em Reabilitação IV - credenciamento dado pelo SUS a entidades que atendem os quatro tipos de deficiência), a tendência é que a quantidade de pessoas recebidas aumente ainda mais. 

Rio Grande tem 75 crianças e jovens recebendo atendimento educacional na Apraespi, seja em ensino básico, profissionalizante ou especial para autistas. Já em saúde, são mais 80 pessoas recebendo tratamento em medicina física e OPM (órteses, próteses e meios de locomoção). “As famílias de Rio Grande da Serra podem ter o conforto de contar com uma entidade séria, bem estruturada, bem localizada e com um atendimento de total excelência. A Apraespi preenche todos esses requisitos e a parceria com Rio Grande é um grande sucesso e faz toda a diferença na vida de muitas famílias”, comenta Lair Moura, superintendente da Associação, que foi agraciada com o título de Cidadã Riograndense.

Elaine Bispo Soares é uma das muitas mães que hoje podem contar com a estrutura da Apraespi. Seu filho de 5 anos permanece na Entidade por 4 horas diárias em sessões de fisioterapia, terapia ocupacional, pediatria e fonoaudiologia. A mãe destaca que o apoio oferecido pela equipe multidisciplinar de saúde faz toda diferença no cotidiano da família: “a equipe da Apraespi me ajuda bastante. Além da reabilitação, me orientam no cuidado do meu filho em casa. Com tudo isso, hoje meu filho é uma criança mais comunicativa, mais animada. Estou muito feliz”. 

Assim como Elaine, qualquer família de Rio Grande da Serra tem à disposição todo o profissionalismo e o carinho da equipe da Apraespi. O cidadão que precisar de aparelho auditivo ou cadeiras de rodas (inclusive motorizada), pode sempre procurar a associação.  A associação está à disposição das famílias, com serviços garantidos pelo SUS, fruto de muitas negociações de Lair o hoje ex-ministro Alexandre Padilha. Além da deficiência intelectual, física e auditiva, a associação abriu atendimento também para pessoas com deficiência visual. Para ter acesso a esses serviços, o cidadão pode entrar em contato através da central de vagas de Rio Grande da Serra: (11) 4820-8020. É possível entrar em contato diretamente com a Apraespi, pelo e-mail apraespi@apraespi.org.br, pela página facebook.com/Apraespi ou pelo telefone (11) 2505-9050.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Lair participa de programa na Eco TV

A superintendente da Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência), Lair Moura, concede entrevista na manhã desta quinta-feira nos estúdios da Eco TV, em Santo André. 

Lair falará sobre a situação da saúde pública na região do Grande ABC e sua trajetória na Apraespi. No ano passado, a superintendente participou do programa “AL Debate”, exbido pela TV Assembleia. 

Tem acesso ao canal apenas os assinantes da operadora de TV a cabo Net. No entanto, o programa será disponibilizado na página facebook.com/Apraespi e no perfil de Lair na rede social: facebook.com/lair.moura.9.

Lair e Donisete Braga fecham parceria

Apraespi e Prefeitura de Mauá firmam convênio que beneficia 284 famílias 

Donisete aprovou proposta de Lair

Após intensa negociação da superintendente da Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência), Lair Moura, o prefeito de Mauá Donisete Braga (PT) anunciou um convênio para bancar o transporte das 284 crianças atendidas na associação, localizada em Ribeirão Pires. A Prefeitura concederá uma subvenção per capita. 

“Conversamos bastante e o prefeito Donisete concluiu que o melhor para essas famílias mauaenses era continuar o atendimento em uma entidade séria, bem estruturada, bem localizada e com um atendimento de total excelência. A Apraespi preenche todos esses requisitos e a parceria com Mauá é um grande sucesso”, avalia Lair. 

Das sete cidades da região - além de Ribeirão -, Mauá é a única que mantém parceria com a Apraespi, o maior centro de reabilitação do Grande ABC. 

A Apraespi já possui uma longa trajetória de parcerias com o governo Donisete Braga. No ano passado a entidade fechou um convênio para atender crianças com autismo no Cati (Centro de Atendimento aos Transtornos Invasivos do Desenvolvimento). A Apraespi ampliou o número de salas, recursos humanos e equipamentos na unidade. O custo para atender um aluno autista é cerca de 10 vezes mais caro do que para crianças sem deficiência. 

Praticidade
Com o convênio de transporte para alunos mauaenses na Apraespi, a vida de muitas famílias ficou mais fácil. É o caso de Elaine Amaral, que agora não precisa mais sair de Mauá para vir todos os dias buscar sua filha na Apraespi. 

“Posso ficar mais tranquila nesse sentido”, conta a mãe. “Antes era muito ruim, muito cansativo. Levávamos mais de 40 minutos para percorrer todo o caminho. Minha filha ficava cansada. Mas agora com o a perua indo levar e trazer de volta, posso ficar mais descansada e me focar em outras atividades”. 

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Lair e vereador Ricardinho discutem ações para deficientes

Vereador declara apoio à mobilização de Lair em busca de mais recursos para escolas especiais

Lair e Ricardinho após reunião
O vereador Ricardo Manoel, o Ricardinho (PTB), aproveitou sua visita à Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência) para se reunir com a superintendente Lair Moura e debater ações em benefício de pessoas com deficiência da região do Grande ABC. 

Ricardinho declarou apoio à mobilização de Lair para criar a versão paulista do programa Todos Iguais pela Educação, que torna obrigatório ao governo estadual o financiamento de Apaes e escolas especiais filantrópicas. Só em 2014 serão destinados R$ 436 milhões através do programa, implantado pioneiramente no Paraná. São Paulo destina quatro vezes menos recursos para Apaes do que o estado vizinho, cerca de R$ 115 milhões. 

“O que me levou a   apoiar a iniciativa da Apraespi é que, visitando a associação, observei que o trabalho realizado no local é de suma importância para as pessoas com deficiência e muitos municípios não possuem acesso a esse trabalho de qualidade.  Por isso sou favorável ao programa Todos Iguais pela Educação“, afirmou. 

Por diversas vezes o vereador ressaltou a qualidade do atendimento na Apraespi, enquanto conhecia cada uma das unidades da associação. “As impressões foram as melhores, a localização, a humanização com as pessoas especiais”, elogiou. “Esse projeto poderia  ser ampliado para outros municípios, visto que temos muitas pessoas sem atendimento adequado”.

Para Lair, a adesão do parlamentar ao movimento serve para “dar ainda mais força e legitimadade junto à população que precisa do atendimento em reabilitação”. “É mais uma importante figura da política regional que reconhece a importância dessa demanda das famílias das pessoas com deficiência”, completou. 

De acordo com o ofício entregue em mãos por Lair ao governador Geraldo Alckmin, é  necessário multiplicar por quatro o per capita de R$ 291 mensais, valor que o Estado paga  para atender uma criança com deficiência (intelectual ou múltipla), que precisa estudar numa sala adaptada com no máximo mais nove colegas. Já para atender uma criança com deficiência intelectual com idade inferior a seis anos, a Prefeitura de Mauá investe investe R$ 320 mensais por aluno, que são atendidos em salas com até quatro crianças.

Lair crê que a implantação de um projeto similar ao modelo paranaense possa aumentar o volume dos repasses para as escolas especiais filantrópicas e atender por completo essa demanda. 

Em janeiro, foi encaminhado ao governador Geraldo Alckmin um novo ofício cobrando a aprovação de uma lei que oficialize o programa Todos Iguais pela Educação no estado. O mesmo documento foi enviado a todos os deputados estaduais. A proposta é discutida na Assembleia Legislativa. 

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Lair Moura: trabalho árduo em prol da saúde pública

ENTREVISTA
Lair Moura / Superintendente da Apraespi

- Jornal Opinião Pública

Aprendi que só através da política é possível fazer valer os direitos do cidadão

Mulher de grande destaque no cenário político regional, Lair Moura, superintendente da APRAESPI e mantenedora da Santa Casa de Batatais, é extremamente respeitada por suas conquistas para as entidades, em especial na área da Saúde, fruto de 45 anos de luta árdua. Sua determinação a tornou nacionalmente conhecida e respeitada em todos os círculos políticos. Nesta entrevista, ela conta um pouco de sua história e da motivação que a fez colocar seu nome como pré-candidata a deputada estadual.

Opinião Pública –Como começou sua vida pública? A história da APRAESPI está intimamente ligada à sua trajetória de vida, não é verdade?
Lair Moura – Minha vida pública começou quando ingressei na APAE de Santo André, em 1968. Logo depois vim para Ribeirão Pires ajudar a montar a APAE da cidade – hoje APRAESPI - e aqui estou até hoje. Fundei a Federação das APAEs do Estado de São Paulo e a presidi por 20 anos. Presidi também pelo mesmo período a APRAESPI, onde atuo há mais de 45 anos. Sempre digo que quero viver até os 100 anos, para levar adiante esse meu trabalho em prol da saúde melhor para as pessoas. É o que eu mais gosto, é o que me motiva a acordar todos os dias e enfrentar tantos desafios. Minha formação acadêmica contribuiu bastante para tantas conquistas. Sou formada em direito sanitário e administração hospitalar. 

Como decidiu levá-la adiante com o desejo de representar a cidade e a região como pré-candidata a deputada estadual?
Nesses meus 45 anos de APRAESPI aprendi que só através da política é possível fazer valer os direitos do cidadão, seja da mulher, da pessoa com deficiência ou do idoso. Sem ser deputada conquistei muita coisa: o Hospital Dia para Ribeirão, a modernização da Santa Casa de Batatais, contribuí para a mudança da Constituição Estadual. Acabo de conseguir mais R$ 4 milhões para a APRAESPI, o que representa mais qualidade no atendimento em reabilitação. Coloquei meu nome como pré-candidata pois, sendo deputada, atuando diretamente com as leis, tenho certeza que conseguirei muito mais. Ribeirão Pires precisa e merece. 

Qual a sua análise da situação política da região?
Ribeirão Pires nunca teve um deputado, nem estadual nem federal. Os deputados da região cuidam muito mais de suas cidades de origem e mandam ‘migalhas’ para o nosso Município. Está na hora de Ribeirão Pires ter uma deputada para defender os interesses próprios da cidade e também demandas regionais que fortaleçam a cidade.

Qual a grande deficiência que deve ser trabalhada na região?
A saúde pública. Espero que a região do ABC seja uma referência nesse ponto. Assim como contribuí para que a APRAESPI tenha se tornado um modelo de excelência em gestão. É um trabalho árduo, mas competência, formação acadêmica, caráter, coragem e vontade eu sei que não vão faltar. 

É verdade que você e a vice-prefeita Leo Moura, sua irmã, farão uma dobradinha nas eleições?
Não. Não há a menor possibilidade de a Leo deixar a vice-prefeitura. Da família, sou a única pré-candidata. 

E o prefeito Saulo Benevides apoiará sua candidatura?  
 Bom, eu fiz a minha parte. Ajudei a elegê-lo em 2012 e o apoio do meu grupo foi fundamental para tornar vereador Anderson Benevides, sobrinho do prefeito. O mínimo que posso esperar nas próximas eleições é reciprocidade. 

Deixe uma mensagem.
Temos mostrado trabalho árduo e exitoso ao longo de anos em prol da região. Hoje a APRAESPI atende a mais de 2 mil pessoas por dia e é referencia nacional. Sempre dei o melhor de mim. Caso seja candidata, os eleitores terão que optar: uma vantagem individual agora ou o desenvolvimento e bem-estar coletivo durante pelo menos 4 anos. A escolha, cidadão, é sua! 



quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Lair organiza ato por mais recursos para Apaes

Mobilização liderada por Lair pede ampliação em convênios com Apaes 

Minutos antes do início do evento que instituiu o “Programa São Paulo pela Igualdade de Direitos da Pessoa com Deficiência Intelectual”, cerca de 50 funcionários da Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência), liderados pela superintendente Lair Moura, se reuniram em frente ao Palácio dos Bandeirantes, onde fizeram um ato a favor do aumento de recursos para escolas especiais filantrópicas do Estado de São Paulo.

Foram distribuídas ao público, formado principalmente por prefeitos, deputados e presidentes de Apaes, cópias do ofício encaminhado em setembro de 2013 ao governador Geraldo Alckmin.        “O convênio da Secretaria Estadual de Educação com as escolas filantrópicas é significativo, mas insuficiente para atender com qualidade”, afirmava o documento. 

De acordo com o ofício, é  necessário multiplicar por quatro o per capita de R$ 1.039, valor que o Estado paga  para atender uma criança com autismo, que precisa estudar numa sala com no máximo quatro alunos. Já para atender uma pessoa com deficiência intelectual com idade superior a 30 anos, o Estado investe R$ 60 por aluno, via Secretaria de Desenvolvimento Social, já que não podem mais ser atendidos pela Secretaria de Educação. A Secretaria Estadual de Educação também deixou de atender crianças com deficiência com idade abaixo de 5 anos, alunado que não foi assumido pelas prefeituras.

A mobilização cobrou ainda a aprovação de uma lei nos moldes da que criou no Paraná o programa Todos Iguais pela Educação, que torna obrigatório ao governo estadual o financiamento de Apaes e escolas especiais filantrópicas. Só em 2014 serão destinados R$ 436 milhões através do programa. Em São Paulo, o governo anunciou a destinação de R$ 115 milhões, quatro vezes menos que o estado vizinho. 

“Nós sabemos que o governo tem dinheiro, só falta boa vontade política para destinar a quem realmente precisa. No caso da inclusão de crianças deficientes, quem faz o atendimento são as Apaes. Acho a mobilização de hoje bastante oportuna”, afirmou Donizete dos Santos, representante da Apae de Santa Fé do Sul. 

“A iniciativa da Lair hoje foi muito importante para mostrar que o Movimento Apaeano está cada vez mais unido, cobrando do governador o que tem por direito. Ela realmente honra o nome ‘Lair da Apae’”, destacou José Miguel Tartuci, presidente da Apae de Rio Grande da Serra. 

A superintendente da Apraespi, Lair Moura, acredita que a mobilização pode trazer resultados: “foi um alerta para quem mais pode nos ajudar, já que o governador Geraldo Alckmin sempre se interessou pelas Apaes”. “Tenho certeza que a mobilização de hoje trará muitos frutos e as escolas especiais filantrópicas receberão mais recursos do governo estadual, que seguirá o modelo criado no Paraná”.

Foi protocolado no mesmo dia um novo ofício. O mesmo documento foi enviado a Alckmin e a todos os deputados estaduais. 

Lair cobra de Alckmin aumento no convênio para Apraespi e Apaes

Superintendente solicita criação de programa Todos Iguais pela Educação em São Paulo

- Jornal Opinião Pública


A superintendente da Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência), Lair Moura, se reuniu na última sexta-feira com o governador Geraldo Alckmin para cobrar a implementação de um programa similar ao Todos Iguais Pela Educação, projeto que ampliou convênios com Apaes e escolas especiais filantrópicas. 

O estado do Paraná, primeira unidade em que o programa foi aprovado, destina R$ 436 milhões anuais para atender 43 mil alunos com deficiência. Já São Paulo, com  uma demanda ainda maior, destina apenas R$ 115 milhões. 

“É por isso que tenho me esforçado tanto para criar  esse projeto em São Paulo.  Alguns convênios não contemplam totalmente as pessoas que precisam desse atendimento, como por exemplo o que teria que atender crianças com menos de seis anos e adultos com mais de 30“, completa Lair. 

Por iniciativa de Lair, deputados encaminharam à votação um projeto de lei semelhante ao que criou o Todos Iguais Pela Educação, que já tramita tanto na Assembleia Legislativa quanto na Câmara dos Deputados. No entanto, as votações devem acontecer só após a realização da Conae (Conferência Nacional de Educação), que pode determinar o congelamento de convênios governamentais com escolas especiais filantrópicas. 

O secretário estadual de Educação, Herman Voorwald, disse ser favorável à implantação do projeto para  aumentar o valor do recurso per capita das escolas especiais filantrópicas.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Governo de São Paulo implementa programa pelos direitos da pessoa com deficiência intelectual

Governador Geraldo Alckmin assina decreto do “Programa São Paulo pela Igualdade de Direitos da Pessoa com Deficiência Intelectual”

O Governador do Estado de São Paulo assinou na manhã desta sexta-feira, 17 de janeiro, no Palácio dos Bandeirantes, o Decreto que estabelece diretrizes e metas para implementação do “Programa São Paulo pela Igualdade de Direitos da Pessoa com Deficiência Intelectual”. O programa visa o reconhecimento do indivíduo com deficiência como sujeito de direitos, buscando a garantia de igualdade e de oportunidade às pessoas com deficiência intelectual, além de articulação e integração de programas e serviços efetivos na busca pela qualidade de vida desse público.

Estiveram presentes na cerimônia a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella, o Governador Geraldo Alckmin, o Secretário de Estado da Educação, Herman Voorwald  e o presidente do Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência, Ronilson Silva.

O documento assinado nesta manhã reúne as diretrizes e metas de curto, médio e longo prazo atribuídas às secretarias de Estado da Saúde, da Educação, de Desenvolvimento Social; do Emprego e Relações de Trabalho; do Esporte, Lazer e Juventude; da Cultura; da Justiça e Defesa da Cidadania; do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

A Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella, falou sobre o grupo que auxiliou na elaboração do projeto. “Vamos responder aos anseios da população dizendo que pode ser efetiva a ação do Governo que se estende em comunhão com as entidades que sempre traduziram os direitos das pessoas com deficiência intelectual. Hoje transformamos esse grande sonho em realidade”.

Dra. Linamara salientou, “com esse Programa buscamos amparar as ações, garantir e perenizar as melhores práticas, em benefício de uma sociedade cada vez mais inclusiva”.

Em seu discurso, o Governador Geraldo Alckmin falou sobre as metas que existem no documento, “são 55 metas objetivas, algumas em curtíssimo prazo, outras de médio e longo prazo, com isso buscamos reiterar o compromisso do Governo do Estado com políticas públicas para pessoas com deficiência”.

De fevereiro a março de 2013, aconteceu uma consulta pública para este Programa, afim de alinhá-lo com as necessidades reais das pessoas com deficiência intelectual. Esse material pode apresentar diretrizes para garantia de igualdade de direitos e de oportunidades para esse público.

fonte:

Funcionários da Apraespi fazem ato por inclusão de deficientes

Mobilização que ocorreu no Palácio dos Bandeirantes pedia ampliação em convênios com Apaes 

Representantes da Apraespi abordam presidente de Apae

Minutos antes do início do evento que implementou o “Programa São Paulo pela Igualdade de Direitos da Pessoa com Deficiência Intelectual”, cerca de 50 funcionários da Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência) se reuniram em frente ao Palácio dos Bandeirantes, onde fizeram um ato a favor do aumento de recursos para Apaes.

Foram distribuídas ao público, formado principalmente por prefeitos, deputados e presidentes de Apaes, cópias do ofício encaminhado em setembro de 2013 ao governador Geraldo Alckmin. "O convênio da Secretaria Estadual de Educação com as escolas filantrópicas é significativo, mas insuficiente para atender com qualidade", afirmava o documento. 

De acordo com o ofício, são necessários R$ 1039,00 para atender uma criança com autismo, que precisa estudar numa sala com menos de cinco colegas. Já para atender uma pessoa com deficiência intelectual com idade superior a 30 anos devem ser investidos R$ 270. A Secretaria Estadual de Educação deixou de atender crianças com deficiência - com idade abaixo de 5 anos  - e oferta somente R$ 60 para os adultos. 


A mobilização cobrou ainda a aprovação de uma lei nos moldes da que criou no Paraná o programa Todos Iguais pela Educação, que torna obrigatório aos estados o financiamento de Apaes e escolas especiais filantrópicas. O projeto está em votação na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados.  

"Nós sabemos que o governo tem dinheiro, só falta boa vontade política para destinar a quem realmente precisa. No caso da inclusão de crianças deficientes, quem faz o serviço são as Apaes. Acho a mobilização de hoje bastante oportuna", afirmou Donizete dos Santos, representante da Apae de Santa Fé do Sul. 

A superintendente da Apraespi, Lair Moura, acredita que a passeata pode trazer resultados: "foi um alerta para quem mais pode nos ajudar: deputados e presidentes de Apaes. Tenho certeza que a mobilização de hoje trará muitos frutos e as escolas especiais filantrópicas receberão mais recursos do governo estadual".

Foi protocolado um novo ofício reforçando os pedidos anteriores. O mesmo documento foi enviado a Alckmin. 







quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Câmara aprova ampliação de convênio e repasse à Apraespi

Por Danilo Meira
- Mais Notícias

Sessão extraordinária na Câmara
Na tarde de ontem, a Câmara Municipal realizou sua primeira sessão de 2014, de forma extraordinária para alterar a Lei Municipal 5069/07 e também autorizava a Prefeitura a repassar incentivo à Apraespi, a Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência de Ribeirão Pires.

De autoria do Executivo, o Projeto de Lei 001/2014 alterou a cláusula 1ª do termo de convênio com a entidade, que agora inclui os atendimentos especializados de oftalmologia e reabilitação visual e também autorizou a prefeitura a efetuar o repasse de R$ 4,14 milhões, uma vez que a ausência de autorização legislativa para tal, segundo a mensagem do prefeito aos vereadores, “pode implicar na perda destes recursos, fundamentais à prestação de Saúde Pública em nosso município”, o que justificou o regime de urgência.

A matéria foi apreciada e aprovada pelos 14 vereadores presentes à sessão. As ausências foram Anderson Benevides (PSC), Cleo Meira (PTN) e Renato Foresto (PT).

fonte:

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Lair obtém portaria que beneficia Santas Casas e Apraespi

Após mobilizações lideradas por Lair, Ministério da Saúde reduz para cinco dias úteis o prazo de repasse de recursos 

- Jornal Opinião Pública

Lair e o ministro Alexandre Padilha após reunião
Após cobrança da superintendente da Apraespi (Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência), Lair Moura, o Ministério da Saúde publicou a portaria 2617/13, que estabelece para estados e municípios o prazo de cinco dias úteis para o repasse de verbas do SUS às unidades de saúde beneficiadas. A portaria diz ainda que em caso de descumprimento do limite, os recursos serão suspensos.

Atualmente, segundo o ministério, a pasta credita mensalmente o dinheiro aos fundos das unidades da federação que possuem convênios com santas casas, porém, os gestores públicos não têm prazo definido para repassar a verba às instituições.

Durante o Congresso Estadual das Santas Casas, realizado em maio de 2013, em Campinas, Lair mobilizou os integrantes e conseguiu um abaixo assinado, que foi entregue ao Ministério da Saúde. 

A medida beneficia principalmente as Santas Casas e hospitais filantrópicos, que têm em média 90% dos pacientes atendidos vindos do SUS. O atraso no repasse de verbas pode obrigar essas instituições a assumirem dívidas e até interromperem o fluxo de atendimento. 

“As Santas Casas já sofrem com o subfinanciamento, se o gestor dos recursos do SUS atrasar os repasses, as unidades de saúde são duplamente prejudicadas. A iniciativa da Lair em cobrar a aprovação da portaria foi fundamental”, destaca o presidente da Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Estado de São Paulo), Edson Rogatti. 

Representando a Fehosp, Lair elogiou a atuação do ministro Padilha, que atendeu de imediato a solicitação feita pelas Santas Casas e Apraespi. “Foi fundamental a posição do ministro Padilha em coibir os atrasos de repasses aos prestadores filantrópicos de serviços essenciais à saúde”. 

No caso da Apraespi, não foram raras as vezes que a entidade foi precisou fazer empréstimos para honrar seus compromissos com funcionários e fornecedores. Durante as gestões da petista Maria Inês Soares (1997-2004) e de Clóvis Volpi (2005-2012), a demora no pagamento das verbas SUS constantemente ultrapassava a marca de um mês. “Só mesmo com muito pulso firme e empréstimos nos bancos é que conseguimos nos manter com tantos atrasos de repasses. Isso prejudica o direito constitucional do cidadão à saúde, já que muito mais pessoas poderiam ser atendidas sem tanta demora”, relembra Lair.

Histórico
Lair tem um longo histórico de  reivindicações e conquistas com as Santas Casas. Há quase duas décadas como provedora da Santa Casa de Batatais, ela equipou a unidade com equipamentos de última geração. 

Em 2012 a superintendente liderou na região as mobilizações da Frente Nacional por Mais Recursos para Saúde Pública. O movimento organizado tinha como objetivo ampliar os investimentos do governo federal no setor para 10% da receita corrente bruta da União.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta a APRAESPI no Facebook