segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Esclerose múltipla: tratamento precoce é a chave da reabilitação

Por Diego Simi 

30 de agosto é o Dia Nacional de Conscientização da Esclerose Múltipla. A esclerose múltipla é uma doença neurológica crônica que geralmente atinge mulheres com idade entre 20 e 40 anos, provocando, entre outros sintomas: perda de visão, visão dupla, dormência, fraqueza, falta de equilíbrio e fadiga.

É uma patologia relativamente rara. De acordo com a Associação Brasileira de Esclerose Múltipla, mais de 2,5 milhões de pessoas são acometidas pela doença no mundo.

Por ser uma doença autoimune, onde o sistema imunológico  ataca o organismo, não existem métodos preventivos específicos para a esclerose múltipla. A melhor maneira de manter uma boa qualidade de vida nesse caso é sempre estar atento aos sintomas, como alerta o fisio-terapeuta Ronaldo dos Santos, do 
Hospital Dia da APRAESPI: “A pessoa deve estar sempre muito atenta aos sintomas da doença, porque são muito sutis e aparecem por pouco tempo. E é justamente aí que mora o perigo, pois muitas pessoas simplesmente não dão a mínima importância para esses sintomas pensando que não seja nada de anormal”.

Normalmente a esclerose múltipla começa a se manifestar com pequenas alterações sensitivas, turvações na visão e até uma leve perda no controle da urina.


“O ideal é que assim que a pessoa detecte essas alterações ela já procure um médico. A tendência  é que os sintomas se tornem mais freqüentes com o passar do tempo. Quanto mais cedo for feito o tratamento,  melhor”, completa o fisioterapeuta.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta a APRAESPI no Facebook